Wednesday, June 1, 2016

Estamos a contratar Técnico(a) de Contabilidade

Estamos à procura de Técnico(a) de Contabilidade para integração na Know2Grow. Que traga e queira ganhar conhecimento, alargar horizontes e crescer connosco.
 
Procuramos alguém com bons conhecimentos de contabilidade, espírito de iniciativa e boa capacidade de interacção dentro da estrutura e junto dos clientes.
 
Damos preferência a:
- licenciatura na área (contabilidade, gestão, economia ou similar)
- Contabilista Certificado
- experiência profissional na área de pelo menos 2 anos (factor eliminatório)
- possibilidade de integrar as medidas Estímulo Emprego ou Estágios Profissionais do IEFP
- facilidade de comunicação em inglês
- disponibilidade imediata
 
Agradecemos envio de CV, Carta de Apresentação e expectativa salarial para o email geral@know2grow.pt

Monday, April 4, 2016

Resolução Alternativa de Litígios de Consumo

Desde o dia 23 de Março, todos os agentes económicos que façam vendas ou prestações de serviços a consumidores finais têm uma nova legislação a cumprir, no âmbito da Resolução Alternativa de Litígios de Consumo (RAL) - Lei nº 144/2015 de 8 de Setembro. Desta forma, pretende-se estimular a resolução de litígios fora dos tribunais, tendo sido criada a Rede de Arbitragem de Litígios de Consumo.

Quem está obrigado?
Todos os agentes económicos que façam vendas ou prestações de serviços a consumidores finais

Como devo informar o consumidor?
- Contratos escritos - se os contratos com os seus clientes são reduzidos a escrito, deverá o contrato indicar a informação necessária (ver, abaixo, "O que fazer")
- Sem contratos escritos - a informação deverá estar afixada em local visível, preferencialmente junto ao local de pagamento ou, em alternativa, impressa na factura entregue ao cliente
- Website - deve indicar a informação necessária no site da empresa, caso este exista.

O que fazer?
Se é uma empresa aderente a um Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo, deverá afixar no estabelecimento uma placa com, por exemplo, a seguinte menção:
“Empresa aderente do Centro de Arbitragem XXX, com os seguintes contatos… Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a esta Entidade de Resolução de Litígios. Mais informações em Portal do Consumidor www.consumidor.pt”.

Se não é uma empresa aderente a um Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo, deverá afixar no estabelecimento uma placa com, por exemplo, a seguinte menção:

“Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a uma Entidade de Resolução Alternativa de Litígios de consumo. Mais informações em Portal do Consumidor www.consumidor.pt.”

Como sei que sou uma empresa aderente a um Centro de Arbitragem?
Normalmente esta adesão processa-se no acto de constituição da sociedade. Se não se recorda se aderiu, deve procurar no site do Centro de Arbitragem da sua zona geográfica se está inscrito. 

Tenho de aderir a um Centro de Arbitragem?
Não é obrigatório, mas se o quiser fazer, deverá dirigir-se a um dos sites de acordo com a sua área geográfica (ver aqui) e proceder ao registo.

Quais os Centros de Arbitragem disponíveis?
Veja aqui a lista, e contactos, dos 10 diferentes Centros de Arbitragem disponíveis.

Quem fiscaliza e quais as coimas?
A ASAE é responsável pela fiscalização. As coimas são de 500 a 5.000€ no caso de Empresários em Nome Individual e 5.000 a 25.000€ no caso de pessoas colectivas.

Mais informação
Para mais informação sobre esta matéria, consulte este folheto explicativo.

Saturday, January 16, 2016

Estamos a Contratar Assistente

Estamos à procura de Assistente de Contabilidade / Consultoria de Negócios para integração na Know2Grow. Que traga e queira ganhar conhecimento, alargar horizontes e crescer connosco.
 
Procuramos alguém com bons conhecimentos de contabilidade, espírito de iniciativa, boa capacidade de interação dentro da estrutura e junto dos clientes e, acima de tudo, muita vontade de aprender e crescer.
 
Damos preferência a:
- licenciatura na área (contabilidade, gestão, economia ou similar)
- possibilidade de integrar as medidas Estímulo Emprego ou Estágios Profissionais do IEFP
- disponibilidade imediata
 
Agradecemos envio de CV e Carta de Apresentação para o email geral@know2grow.pt

Wednesday, January 6, 2016

Nota Informativa 01.2016 – Taxa Municipal Turística

Resumo
     Desde o dia 1 de Janeiro de 2016, todas as unidades hoteleiras dentro do concelho de Lisboa, qualquer que seja a sua dimensão, devem aplicar uma taxa de dormida, por hóspede, de 1€, a entregar à CML. O período máximo aplicável são 7 noites seguidas. A cobrança desta taxa deve vir expressa na factura. Até 31 de Janeiro as entidades deverão registar-se numa plataforma a criar para o efeito (ainda não está disponível), onde registarão a quantidade de dormidas, sendo então gerada uma referência Multibanco para o pagamento da taxa à CML. Os estabelecimentos terão direito a 2,5% das taxas cobradas, como contrapartida.
 
A quem se aplica?
     A todas as entidades que explorem unidades hoteleiras, de qualquer tipo e dimensão, no concelho de Lisboa.
 
Como se aplica?
     A taxa é de 1€ por noite e por hóspede com mais de 13 anos. A mesma deve vir expressa na factura, não sendo sujeita a IVA e não sendo considerada rendimento.
 
Como é feita a comunicação?
     Será criada brevemente uma plataforma online onde, em primeiro lugar, as entidades hoteleiras se deverão registar. No acto do registo é possível, para as entidades isentas ou no regime trimestral de IVA, optar por fazer a comunicação trimestralmente. Quem não assinalar esta opção, ou estiver no regime mensal de IVA, tem de declarar mensalmente.
 
Quando é feita a comunicação?
     Até ao dia 15 do mês seguinte ao fim do mês ou trimestre (consoante estejam num ou noutro regime).
Como é feito o pagamento?
     Uma vez feita a comunicação, é gerada uma referência multibanco que será utilizada para proceder ao pagamento, num prazo de 10 dias úteis.

Qual a contrapartida para quem explora os equipamentos hoteleiros?
     Está definida uma taxa de 2,5%, a que acresce IVA a 23%, a pagar pela CML às entidades que asseguram a cobrança e fazem a liquidação da taxa. Para tal, através da plataforma online a disponibilizar, e após disponibilização pelas entidades de documentação formalmente exigida pela CML para ser considerado fornecedor do município, será dado a cada entidade um nº de compromisso. Até 5 dias após a comunicação do período ser efectuada, deverão as entidades emitir factura, no valor de 2,5% da taxa cobrada, acrescido de IVA a 23%, com a menção do nº de compromisso e o seguinte descritivo: "Taxa Municipal Turística - Mês a que se refere", sendo o pagamento efectuado pela CML a 30 dias.
 
Como saber mais?